Sexualidade e educação: revisão sistemática da literatura científica nacional

Por João Paulo Zerbinati Maria Alves de Toledo Bruns*

A discussão acerca da sexualidade no contexto da educação envolve a prática de projetos abrangentes que visam oferecer espaços para reflexões emancipatórias relacionadas aos fenômenos afetivo-sexuais. Do caráter informativo até a problematização da sexualidade e do gênero, a educação sexual é disciplina em evidência na contemporaneidade por sua necessidade histórica, política, social e humana. Contudo é também fato histórico seu enfrentamento a forte resistência, que continua mesmo em pleno século XXI.

Neste contexto, este trabalho objetiva investigar as pesquisas a respeito da sexualidade na interface com a educação, apresentando e discutindo o perfil dos artigos científicos nacionais, publicados nos últimos cinco anos, tendo tal temática em evidência. Para isso, foi utilizado o método de revisão sistemática e meta-análise, que possibilitou uma investigação detalhada, abrangente e relevante sobre o fenômeno indagado.

Foram 47 artigos elegidos e categorizados para discussão a partir de eixos temáticos elencados após a leitura do material encontrado, a saber: (1) Investigação Teórica; (2) Revisão do Conhecimento Produzido; (3) Família e Educação Sexual; (4) O Olhar do Profissional; (5) A Dimensão dos Alunos; (6) Sexualidade e Prática Educativa. Esta revisão possibilitou compreender notórios avanços reflexivos, multidisciplinares, políticos, sociais, teóricos e práticos da educação sexual.

Entretanto, apontam-se horizontes em que há muito a caminhar para se chegar a real e permanente inclusão da diversidade afetivo-sexual no ambiente educacional e na sociedade de um modo geral. Obtêm-se como desafio contemporâneo a formação e formação continuada, sobretudo dos profissionais da educação e da saúde cuja práxis emerge ao contato com tais aspectos da pluralidade afetivo-sexual. Tornando possível a promoção de delicadas estratégias para pertinentes diálogos com as demais matrizes de significados da vivência humana, como família, igreja, Estado e mídia. [leia o artigo completo clicando aqui]

* João Paulo Zerbinati é discente do Programa de Pós-Graduação em Educação Sexual da Faculdade de Ciências e Letras, UNESP/Araraquara.

*Dra. Maria Alves de Toledo Bruns é líder do Grupo de pesquisa Sexualidade & Vida e co-autora do livro “Educação Sexual pede Espaço: Novos horizontes para a práxis pedagógica”, editora Omega.

<Página anterior